NFC-e no Espírito Santo: obrigatoriedade total em 2018

23 de janeiro de 2018
NFC-e no Espírito Santo

A NFC-e no Espírito Santo começou a ser implementada em junho de 2017. Esse modelo de documento vai substituir gradativamente a Nota Fiscal de Venda ao Consumidor, modelo 2 e o Cupom Fiscal emitido pelo Emissor de Cupom Fiscal (ECF).

More...

Quando a NFC-e deve ser implementada no Espírito Santo para todas as empresas? 

A Sefaz do Espírito Santo informou que todas as empresas varejistas devem começar a emitir NFC-e a partir de 1º de janeiro de 2018, caso contrário, poderão sofrer penalidades. 

Se você ainda não emite o documento, é preciso entrar em contato com a Sefaz para regularizar a situação. Neste site você tira dúvidas sobre o assunto. 

O que fazer agora que a NFC-e é totalmente obrigatória no Espírito Santo?

A NFC-e já é obrigatória para todos os contribuintes. Sendo assim, a nossa plataforma de automação de NFC-e, eNotas Gateway, suporta as emissões no ES de forma totalmente automática e sem você precisar efetuar nenhuma adaptação técnica.

Com essa mesma integração simples, você já consegue emitir NFC-e em qualquer estado do Brasil – até mesmo suportando o SAT de SP automagicamente! (muito em breve).

Dessa forma, o software compreenderá todas as particularidades da Sefaz/ES e emitirá os seus documentos fiscais com tranquilidade e segurança.

A nossa integração funciona também para NF-e e NFS-e em todo o Brasil. Portanto, você não precisar se preocupar com atualizações técnicas, adaptações e variedades de sistemas e tecnologias que existem atualmente.

Quer saber mais? Entre em contato com a nossa equipe agora mesmo!

Qual é a importância da NFC-e no Espírito Santo?

O objetivo da NFC-e é facilitar a vida de muitos lojistas e comerciantes ao permitir que a nota fiscal seja emitida pela internet.

Portanto, não há necessidade de utilizar uma impressora fiscal. Se o cliente solicitar a cópia do documento, você pode fazer a impressão em um equipamento comum.

Além disso, a NFC-e possui outros benefícios para os empreendedores do Espírito Santo:

  • Não há obrigatoriedade da utilização de uma impressora fiscal.
  • Não necessita de homologação de hardware ou software.
  • Não precisa de intervenções técnicas.
  • Permite que a emissão de NFC-e seja automatizada.
  • Reduz custos com compra de papéis e espaço para armazenamento.
  • Transmite em tempo real ou online a NFC-e para o sistema da Sefaz.
  • Há a possibilidade de expansão de pontos de vendas no estabelecimento sem a necessidade de autorização do Fisco.
  • Integra com plataformas de vendas físicas e virtuais.
  • Cliente pode consultar as notas diretamente no portal da Sefaz.
  • Consumidor pode receber o Danfe da NFC-e resumido por email ou SMS.
  • Segurança nas transações realizadas.
  • Diminuição de sonegação de impostos, já que a Sefaz terá acesso aos documentos fiscais em tempo real.

Ainda precisa saber mais sobre esse assunto? Então, baixe agora mesmo o nosso Guia Prático: 7 Pontos Cruciais sobre a Emissão de NFS-e em todo Brasil.

guia 7 mitos NFS-e

>